NAVEGUE AQUI

sábado, 11 de maio de 2019

Se as mães fossem...






Se as mães fossem flores,
Poderiam ser rosas, hortênsias
Ou as simples margaridas
Mas que fossem sempre vivas!

Se as mães fossem astros
Poderiam ser lua estrelas
Ser o sol que surge todo dia
Mas nunca passassem com os cometas

Se as mães fossem árvores
Poderiam ser belas como ipês
Brancos, roxos, rosa e amarelos
Mas centenárias como os carvalhos

Se as mães fossem fontes
Poderiam ser arroios ou igarapés
Rios calmos ou belas cachoeiras
Mas sempre abundantes como os mares

Se as mães fossem o tempo
Encarnariam todas as estações
Primavera, verão, outono e inverno
Então não passariam, seriam eternas

Mães são humanas, anjos temporais
Belas como as flores, luminosas como astros
Fortes como árvores, fonte perene de vida
Necessárias como as estações

Vieram pra ficar, no corpo e no coração
Seja o filho adulto ou de tenra idade
Quando na terra encerram sua missão
É boa recordação, uma canção de saudade!

Walter da Mata            11/05/2019



COMPARTILHE:

domingo, 10 de março de 2019

ÚLTIMO TOQUE




O artista olha o quadro
Com ar de admiração
Antes de baixar o pano
Retorna a tinha à mão

Entre os vegetais
Nada a retocar
Nos astros celestes então
Só coisa pra admirar

Observou cada animal
Nada  a acrescentar
Em pares se  reconhecem
Todos a celebrar

Já ia baixar o pano
Seus olhos enxergam um borrão
Lágrimas nos olhos do homem
Manchavam a criação

Se recusou assinar
Pois queria a perfeição
Chegou mais perto pra ver
Encontrou a solidão

A lágrima dissolve a tinta
Adão sozinho, triste é;
Espaço se abre na tela
Onde se encaixa a mulher

A criação é assinada
O pano cobre a tela
O criador reconhece
A obra é perfeita com ela

Walter da Mata  10/03/2019


COMPARTILHE:

O SILÊNCIO E A VOZ




A alma tenta fugir à realidade
Coagida pelo coração a palpitar
Empurra o corpo ao deserto
Quer apenas ouvir, nada a falar

O arauto da anunciação
Que a espada de Herodes fez calar
Sepulcro está o corpo acéfalo
O maior entre nascidos de mulher

O Divino entre os homens
Deles agora quer se afastar
O silêncio da voz no deserto
Faz sua alma chorar

A multidão no deserto é despedida
Leva saúde,  compaixão e pão;
Passos lentos ao cume do monte
O divino homem busca a solidão

A morte de João antecipa o cálice 
 No topo, o silêncio e a oração
A conversa particular com o Pai
Renova sempre, a força da missão.

                                                       Walter da Mata

COMPARTILHE:

sábado, 26 de janeiro de 2019

VALE DE LAMA






Quanto vale a Vale
Agora que a lama escoou
Cobrindo de barro
A vida vinda do barro?

Lama acumulada
Pessoas no vale
A Vale não percebe
O quanto a vida vale

Vale é lugar fundo
Espaço de depressão
A vida se escoa
O Homem já não vale

O vale feito na Vale
Garante da família o pão
O dinheiro já não vale
Se a morte levou o peão

Homens, mulheres
Crianças e também animais
A vale  joga lama
A vida dos profissionais

A Vale de muito dinheiro
Jogou no vale da morte
Ribeirinhos lutadores
Da terra tirando a sorte

A vida nada vale
Quando a Vale faz a conta
O vale que indeniza
Pro morto nada adianta

Walter da Mata 26/01//2019





COMPARTILHE:

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

ANO NOVO




      Tudo de Novo
      Tem renovo
      Nada de novo
      Mas tudo é novo
      Pra quem faz novo
      O que novo não é

              Não foi novo
              Porque nada é novo
              Pra quem novo não é
             Se não nasceu de novo

     O que é novo
     Vem do ovo
     O ser novo
     Pra viver o novo
     E gerar de novo

           Renovo de novo
           Feliz ano novo
           Que faças novo
           Todo dia novo
           Nascendo de novo!

                                                                      Walter da Mata
                                                                        01/01/2019

COMPARTILHE:

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018











COMPARTILHE:

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

JESUS E A GOIABEIRA







Reservei um tempo para ver e ouvir o vídeo de Damares Alves, pois o tom zombeteiro das postagens e comentários parecia até que tal fala se dera num contexto de Estado. Porém, o testemunho dado pela pastora e agora Ministra Damares Alves foi num contexto de igreja e já há algum tempo, mas passou ocupar as mídias, tão logo ela ter sido convocada para ser a Ministra dos Direitos Humanos. 

Pelo estilo jocoso dos comentários, fica implícito que duvidam da sanidade mental de Damares Alves. Vamos a algumas considerações:

1-      O depoimento foi dado num contexto de igreja e em um culto evangélico de cunho pentecostal, e uma das marcas do movimento pentecostal é a manifestação sobrenatural de Deus. Claro que existem contextos protestantes que não creem nas manifestações sobrenaturais divinas e nem malignas, mas esse nem é o nosso tema aqui, pois falo de um contexto de gente que crê;

2-      Com idade de dez anos, sua diversão e abrigo se dava nas árvores de seu quintal. Foi na condição de criança que ela viveu tal experiência, então é totalmente compreensível que Jesus ocupe esse contexto específico com linguagem visual e verbal próprio da criança, experiência única e pertinente a faixa etária, portanto, não se repetirá. Marcou aquele momento e o restante da vida. Quem lê as Escrituras, encontra manifestações sobrenaturais em diversas ocasiões:  a  Abraão em sua tenda e no cume do monte Moriá; a Moisés,  na sarça que se queimava e não se consumia; a Elias no monte Horebe; aos pais de Sansão em um campo agrícola; a Zacarias no interior do templo; a Maria, mãe de Jesus; a Saulo no caminho de Damasco e no interior de um navio em perigo de naufrágio e outros;

3-      Ela formula não uma doutrina de Jesus subindo em pé de goiaba, elas apenas conta de uma experiência que curou sua alma ferida pela violência sofrida e é princípio teológico que não se faz doutrina em cima de experiências;

4-      O contexto evangélico pentecostal está povoado de incontáveis manifestações sobrenaturais, no qual a pessoa se encontra com Cristo e tem sua vida mudada. Histórias nas quais Jesus  manifestou-se unicamente à pessoa envolvida, entrando como  médico em hospitais, advogados em presídios e outras;

5-      O movimento pentecostal distingue-se no fato de que seus membros creem que os sinais miraculosos dos dias bíblicos, novo e velho testamento, são totalmente pertinentes para os dias atuais: dons de cura, variedade de línguas, interpretação, discernimento de espíritos, palavra da sabedoria, operações de maravilhas; manifestações por sonhos e visões. Isso é real na igreja hoje, muitos curas e milagres acontecem no contexto do culto;

6-      O culto evangélico não é feito em torno de uma filosofia ou em cima de uma ideia. Todas as vezes que uma igreja bíblica se reúne, ela o faz em torno de uma pessoa, a pessoa de Jesus de Nazaré, nascido de uma virgem, crucificado, ressuscitado e assunto aos céus, mas operante na terra por meio do Espírito Santo;

7-      Em tempo algum se procurou saber o que fazem os líderes de Estado em torno de sua fé, se creem ou não em algo, se adoram o que ou a quem; mas virou moda criticar a fé na pessoa de Jesus ou separar o Jesus da Bíblia e da Igreja, do Jesus histórico, como se conflitassem.

Pessoalmente, creio que Jesus está vivo e continua atuando entre os homens e manifesta-se dentro do nível de compreensão de cada indivíduo. Entre as muitas experiências, recebi sua presença em meu quarto, quando tinha 30 anos de idade;  estava enfermo, lóbulo inferior do pulmão esquerdo indicado para lobectomia e Jesus de Nazaré manifestou-se por meio de espada de fogo que circundava o meu tórax removendo todo sangue ressecado das paredes pulmonares e eu, que não tinha forças para me levantar, saltei da cama, fiz abdominais e corri pela casa exaltando o nome dele. Faz 34  anos que fui curado. Prontuário com toda história deve estar nos arquivos do Hospital de Base e Hospital L2 Norte, vinculado à Universidade.

Intervenções sobrenaturais ocorrem dentro da soberania e graça divinas, não sabemos explicar como, quando,  porque  e quem será contemplado, e o melhor que nossa ignorância faz é manter-se em silêncio reverente.

Walter da Mata





COMPARTILHE: