NAVEGUE AQUI

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Três Minutos de Prorrogação





Esses minutos são acrescentados a critério do Juiz. Ao analisar como o tempo do jogo foi usado, ele decide por mais alguns minutos de bola rolando, uma espécie de compensação ao time que se sentiu prejudicado pela malandragem do adversário que deixou de jogar, fez cera, fingiu câimbras, arrastou as pernas para não atrasar o escanteio, enfim, fez-se de tudo para não jogar, afinal, estava ganhando e não jogar, é uma garantia que o outro time não chegará ao empate e quem sabe, até virar o jogo.
Três minutos  passam voando ou parecem uma eternidade, tudo depende de que lado do jogo se está. Se perdendo, o tempo  parece voar, como se conspirasse para que a derrota fosse confirmada, mas quando se está vencendo, três minutos tem cara de eternidade, toca-se a bola de pé em pé, como se tivesse chutando o cronometro para o fim, pois já aconteceu de alguém empatar e  até virar o jogo em três minutos, então não se pode vacilar.
No espaço reservado para o jogo da vida, noventa minutos ou cem anos, o tempo de viver está rolando; o técnico  escala seus jogadores, cada um com lugar  e  missão definida, e se espera como resultado a vitória. Mas nem todos jogam o tempo todo, alguns são substituídos “antes do prazo” previsto para o jogo e deixam o campo, ora aplaudidos, ora sob vaias, tudo depende da razão; se lesionados, saem sob lamento,  se jogaram mal, saem sob vaias e xingamentos;  sem contar aqueles saem em qualquer momento, expulsos de campo, porque se dedicaram ao anti jogo, frustrando a todos.
Nesse jogo, o cronômetro não está visível, sabe-se quanto tempo já se jogou, mas não quanto falta, pois cada jogador entra em campo sem saber qual será seu tempo de jogo, dar o melhor de si, sair vitorioso, sem que para isso tenha que ferir os demais jogadores, é uma marca dos atletas “imortais”, saem do jogo, mas entram na história.
O justo Juiz é o único que regula o cronômetro, por sua justiça graciosa, algumas vezes se acrescenta alguns minutos de prorrogação, não expectativa de que os que usaram mal o tempo regulamentar, possam se dedicar e virar o jogo, pois afinal, ele deseja que todos sejam vitoriosos, pois o maior adversário do atleta, é ele mesmo.
Minha homenagem a todos que saíram do jogo deixando uma sensação que foram tirados antes da hora; meus sentimentos por aqueles que foram lesionados durante o jogo e já não podem participar do jogo e meus lamentos por aqueles que estão no jogo, mas não jogam e ainda complicam a vida de quem está jogando.
                                                                                                                                       
 Walter da Mata   8/7/16


COMPARTILHE:

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

É HORA DE IR PARA CASA







A cena era meio patética. Jeremias desfilava pelas ruas de Jerusalém com um jugo de madeira em seu pescoço como um sinal de Deus e é claro, isso desagradava ao rei, pois o ratificava o cativeiro Babilônico que já era uma realidade e segundo a mensagem Jeremias,  sua duração seria de setenta anos. Anos antes Nabucodonozor,  levara um número significativo de judeus para a Babilônia, confirmando assim a Palavra do Senhor, isso o colocava Jeremias na  posição de profeta reconhecido por Deus e pelos homens.
Como em todo momento de crise, tem gente que insiste em fechar os olhos, negar a crise e ainda é capaz de mentir ao povo, teatralizando sua mentira de forma a convencer. Hananais cumpriu bem esse papel de porta voz oficial; à porta do templo, avança sobre Jeremias, arranca o jugo de seu pescoço e de forma dramática, o despedaça aos olhos de todo povo. Ele mesmo da  interpretação ao seu teatro: dentro de dois anos os que já estavam no cativeiro iriam voltar, bem como todas os tesouros da nação e do templo.
Jeremias, no melhor estilo, não discute. A cena era por demais convincente para ser questionada;  afastar-se, silenciar-se e ir pra casa foi a melhor  solução. A bíblia relata de forma simples esse comportamento: “E o profeta Jeremias foi-se embora”.  O tempo seria seu maior argumento. Não se discute a tolice, o ir contra a verdade e a aceitação da ilusão. Está claro, materializado, mas quando se insiste em negar a realidade e não por demência mental, mas por conveniência e estultice, é melhor deixar falando sozinho e ir embora.
A cena se repete nos anais da história e a cada dia se faz presente no comportamento humano. Caminha-se para o caos, destruição e para a escravatura do corpo e da alma; o jugo é evidente, as algemas estão expostas, mas faz-se teatro no facebook, instagram e nas conversas midiáticas, numa tentativa louca de negar a realidade. 
Nessas horas, a melhor coisa a fazer, é deixar viver a ilusão e ir pra casa. O tempo dará resposta a cada um, Hananias recebeu a dele, seis meses depois de seu teatro, pois a vida nunca deixa a insensatez sem resposta.
Walter da Mata 5/02/16

Reflexões em Jeremias 27 e 28
COMPARTILHE:

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

O QUE APRENDI NO DEVOCIONAL NO SALMO 35



O QUE DIZ SOBRE DEUS

1.     Ele se interessa pelas lutas que estou           vivendo; 1
2.     Ele tem armas de defesa; 2
3.     Ele tem armas de ataque; 3
4.     Ele fala direto no interior do coração do homem; 3
5.     Ele faz o inimigo bater em retirada, como palha soprada pelo vento; 5
6.     Ele é Senhor e Salvador; 9
7.     Ele é a proteção do fraco, diante do forte; 10
8.     Ele tem um tempo certo para intervir; 17
9.     Todas as coisas são vistas por ele; 22
10.    Ele é Juiz e a própria Justiça; 24
11.    Ele se alegra quando seus filhos desfrutam paz; 27

COMO ISSO SE APLICA A MINHA VIDA

1.     Eu estou em constante batalha, sofro ataques todos os dias; 1
2.     Deus está comigo em meio as minhas lutas. Ele tem armas estratégicas para me livrar; 2-3
3.     Sua voz falando no profundo do meu ser, me da segurança; 3
4.     Não tenho medo de conspirações, Deus confunde todas; 4 e 8
5.     Celebro cada livramento que Deus faz; 9
6.     Eu sou frágil, mas posso contar com um Deus forte a meu favor; 10
7.     Quando sofro uma acusação sem causa, me entristeço; 11-12 e 23
8.     Não consigo me alegrar com o sofrimento dos que me perseguem. Deus me deu  graça a ponto de orar e jejuar em favor deles;  13-14. Mesmo  sabendo que se alegram com os meus fracassos; 15-16
9.     Muitas vezes sinto com se estivesse sob ataque de feras, nessas horas eu clamo que Deus  intervenha logo, pois tenho medo de fraquejar; 17
10.  Quando tudo isso passar, vou fazer uma festa celebrando os feitos de Deus em favor da minha vida; 18
11.   Ele que vê tudo, fica sempre juntinho de mim, mesmo quando não percebo; 22
12.   Eu preciso que Deus se mobilize em meu favor, de preferência, que se seja logo; 23-24


ATITUDES PRÁTICAS PARA DESFRUTAR DA VERDADE DA PALAVRA DE DEUS
·        Ocupar de ouvir o que Deus tem a dizer, pois sua voz me deixa seguro em meio as minhas batalhas diárias;
·        Orar pelas pessoas que por qualquer razão, desejam  me ver fracassar;
·        Conhecendo as minhas fragilidades, vou ficar pertinho de Deus, pois Ele é forte;
·        Vou viver louvando o Senhor Deus, como uma forma de não me afastar dele em meio às lutas;
                                                                                   Walter da Mata

                                                                                    31/12/15
COMPARTILHE:

sábado, 26 de dezembro de 2015

FELIZ MALA VELHA!






Fui à loja para comprar uma mala novinha. Quero viajar para o réveillon, com uma mala sem uso algum. A mala  antiga tem histórias, já me acompanhou por vários lugares, de alguma forma já me cansei  dela, pois  ao mesmo tempo que me traz boas recordações, também me faz lembrar de momentos desagradáveis.
Então, adeus mala velha!
A questão, é que gerente da loja de malas, me informou que cada pessoa só recebe uma mala para a viagem da vida, e ao longo de tempo nós vamos colocando e tirando coisas de dentro dela; às vezes nos descuidamos e a deixamos meio  à vontade, mas não tem jeito, uma hora temos que pegar na alça da mala e ir em frente.
O problema é quando nossa mala perde a alça. Fica incômodo carregá-la, mas não deixa de ser a nossa mala.  Com alça ou sem alça, precisamos dela para entrar no novo ano. Então vamos arrumar a viagem!
Recoloque a alça. É o lugar da pegada. Sem um pegada firme, o novo ano não será  melhor que o que está findado.  Sua mala vai sendo empurrada de um lugar para outro e por todo mundo. Fica como se não tivesse dono. Então, vamos lá: defina para onde você e sua mala irão no novo ano.
Veja o que tem dentro dela. Se não há coisas ocupando espaços, que para onde você está indo não terão o mínimo significado, apenas acrescentam peso. Boa lembrança! Você sabe para onde está indo? Isso é muito importante para definir o que deve levar e tirar da mala. Que tal fazer um desapego agora? Liste algumas coisas que não devem ocupar espaços em sua vida no ano que está entrando.
Agora que você desocupou espaços mal utilizados, sobrou espaço para entrar o que de fato você precisa levar? Liste as coisas que não podem faltar no ano vindouro e corra para adquiri-las, pois o voo para o ano novo já está confirmado no painel.
 Pra terminar, quem pode abrir sua mala? É perigoso seguir viagem sem que mais alguém conheça o segredo de nossa mala, pois a memória pode falhar, acidentes acontecem, e é bom ter alguém por perto para nos lembrar o que não mais faz parte de nossa vida, mas que insistimos em contar com elas; e quais as coisas novas que inserimos e que precisamos colocá-las em uso, para não se tornarem inúteis. Em tempo, não caia nessa conversa de gente machucada, que sozinho é melhor. O rei mais sábio que já existiu, disse: “ai de quem estiver só”.
Já fomos informados que em poucas horas sai o voo para um novo tempo e os passageiros já devem se encaminhar para sala de embarque.  Boa viagem!
FELIZ MALA VELHA!
                                                                         Walter da Mata

                                                                               26/12/15
COMPARTILHE:

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

O BONECO E O HOMEM





Pinóquio é um boneco que tem o sonho em ser um menino de verdade. Aqui estão algumas falas do desenho de Walt Disney:
--- Boneco feito de pino, acorde, o dom da vida é seu. Diz a fada.
---  Então eu  sou um menino de verdade?  Pergunta o boneco.
--- Não, ser um menino de verdade é coisa que depende de você! Se você provar que é corajoso, sincero e generoso, um dia você serás um menino de verdade!
--- Isso não será fácil! Exclama o Grilo.
--- Precisa ter noção do certo e do errado! Lembra a bondosa fada.
--- Como vou saber? Pergunta Pinóquio.
--- Sua consciência lhe dirá! Responde a Fada.
--- O que é consciência? Outra pergunta do boneco que sonha em ser um menino de verdade.
O drama se desenrola e por fim  o Grilo falante recebe a incumbência de ser a consciência do boneco que desejava ser um menino de verdade. A Fada define bem o que é consciência:  É a Guardiã suprema do bem e do mal. Conselheira nos momentos de tentação e guia para indicar o bom  e o mau caminho.
Stu Weber, lembra que a jornada de nos tornamos homens de verdade, passa necessariamente pelas três exigências apresentadas a Pinóquio: Ser CORAJOSO, SINCERO E GENEROSO. (1)
O Grilo,  candidato a consciência, exclama: Não será fácil!  Já que não é fácil, aqui nasce o nosso desafio de deixarmos de sermos bonecos e meninos, e desejarmos nos tornar homens de verdade.
Corajoso: alguém que não foge diante dos enfrentamentos internos ou externos da vida. Tem um espírito firme diante de situações difíceis, tanto morais, como emocionais.  Aqui, a pessoa de Davi, que mais tarde se tornará rei de Israel, serve de modelo. Ainda menino, defendia, com risco da própria vida, as ovelhas da família de Jessé.  Depois, enfrenta Golias, em situação muito adversa, por entender que o nome de seu Deus estava sendo escarnecido  e o futuro de sua nação estava em perigo. Em seu treinamento para ser homem, não abandona suas ovelhas e irmãos nos momentos de luta.
Mas, talvez o maior enfrentamento de Davi, foi o dia em  enfrentou suas próprias mazelas, seus bichos ocultos, que o levaram a se apossar da mulher de Urias. Os Salmos 32 e 51, revelam um homem enfrentando a si mesmo. Enfrentar e matar os gigantes externos  é mais fácil que enfrentar os gigantes internos.

Para uma nação, em que a igreja não tem coragem de enfrentar seus males internos e externos, por ter aprendido a viver do subproduto da omissão, deixar de ser um boneco, para ser um homem de verdade,  não é fácil!

Sincero:  alguém que não só fala a verdade, mas anda de verdade;  na verdade que fala. Que não usa máscara em seus relacionamentos.  Às pessoas caminham ao seu lado por algum tempo, sabem quem ele é. Não são surpreendidos por uma face oculta, pois durante a jornada seu coração foi desnudado, tanto nos pontos em quem se reconhece vulnerável, como nas áreas onde tem se mostrado firme. É isso que apóstolo João caracteriza como andar na luz.
Não é fácil lidar com alguém, cuja  fala, não é compatível com as ações. Veja os passos de Ziba, administrador do espólio de Saul. Sua falta de integridade induziu o rei Davi a dar sentenças injustas. Diante do rei, tinha punha uma máscara de servo que honrava, fora da presença do rei, se revelava outro homem.

Nesses dias em que nossa nação é exposta por homens marcados pela mentira e o cinismo, deixar de ser um boneco, para se tornar homem de verdade marcado  por ter um coração sincero, não é fácil!


Generoso:  É a pessoa  capaz de deixar de lado seus próprios interesses para ajudar outra pessoa; quem tem bons sentimentos; de caráter nobre.  Age sem ter interesses próprios escondidos em suas ações. Ela mesma sabe disso, pois com base na sinceridade, não tenta mentir para si mesmo.  Isso não depende do quanto se tem, mas do que se é. Pois a generosidade não envolve apenas coisas e recursos financeiros, envolve tempo dedicado, coração disposto a ouvir e graça para ir ao encontro do outro. O Samaritano da parábola de Lucas 10, é modelo de generosidade: não havia expectativa de receber nada em troca.

Em tempos onde somos valorizados muitos mais pelas coisas que temos acumulado, deixar de ser um boneco para ser um homem de verdade, também não é fácil!

A vida é um dom de Deus, mas o que fazemos com ela, determina se somos apenas bonecos manipulados, ou se somos homens de verdade!  Que o desejo de Pinóquio de ser não apenas um menino, mas um menino de verdade, seja o meu e o seu, em relação à hombridade, não ser apenas homens, mas acima de tudo, homens de verdade.
                                                   Walter da Mata        25/12/2015
                                                                    (1) Companheiros de Luta. Cap 13





COMPARTILHE:

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015



       Paz na terra!
     Essa foi a proclamação angelical, mas todos sabemos que a paz começa dentro de cada um de nós, portanto, que nossos corações se abram para que o Rei da Paz possa morar.
      Desocupemos nosso interior de toda iram mágoa ressentimento, orgulho, avareza, idolatria, e todas as obras da carne descritas em Gálatas 5, só assim a casa estará pronta para receber o Rei.
      Feliz Natal e 2016 cheio de realizações!
      São os votos de todo corpo diretor da Manancial e de todos os membros da igreja.

COMPARTILHE:

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O QUE EU APRENDI NO SALMO 32

Ministério da Saúde Espiritual, adverte:  pecados não confessados                              fazem mal a saúde!

1-      O que aprendi  sobre Deus?
  • Ele perdoa pecados; 2
  • Ele está sempre disponível para receber confissão e atribuir perdão; 5
  • Ele quer ser encontrado pela oração de súplica e louvor; 6 e 7
  • Ele deixa em confusão quem se opõe a Ele; 10
  • Ele ama e protege quem Nele confia; 10
  • Deus recebe com alegria o louvor de um coral de arrependidos; 11


2-      O que aprendi sobre mim?
  • Não existe maior felicidade que receber diariamente um “nada consta” da parte de Deus; 1
  • Quando escondo meus pecados, armazeno dores no corpo e angústias na alma; 3
  • Ter pecados ocultos é viver como ter um saco de cimento sobre a cabeça, até  mesmo quando estou dormindo; 4
  • A confissão remove esse peso instantaneamente; 5
  • O segurança do perdão me faz sentir protegido no meio de um tsunami; 6
  • Sem confissão, fugo de Deus; na confissão corro para Deus; 7
  • Posso contar, ensinar e dar conselhos sobre valor do perdão, pois eu mesmo já experimentei várias vezes; 8
  • Insistir em não confessar é agir como uma mula: age sem pensar; 9
  • Desafiar Deus trás angústias para alma, render-se a ele, é experimentar o amor; 10
  • Quem recebe perdão faz do louvor um estilo de vida; 11

3-      PRÁTICAS QUE TRAZEM SAÚDE!
  • Não fazer da minha vida um lixão de pecados ocultos;
  • Fazer da confissão um estilo de vida;
  • Lembrar todos os dias que sou um homem pecador; mas não sou um mula teimosa que sofre, mas não submete;
  • Compartilhar minhas experiências de como a  confissão e o  perdão me trouxeram saúde e removeram pesos das minhas costas;
  • Louvar todos os dias o perdão recebido;


                                                                                                                       
Walter da Mata 18/12/15
COMPARTILHE: