NAVEGUE AQUI

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O que dizer lá em casa III



Sou grato a Deus por ter me dado a oportunidade de recuperação de minha covardia. Hoje tenho reconhecimento dos de casa e da comunidade e aprendi lições que marcaram minha vida e vou compartilhá-las com você:
Todo mal que nos sobreveio, foi porque eu e os demais homens de Israel, havíamos esquecido de dizer algumas coisas decisivas em nossas casas:
  • que povo éramos: propriedade peculiar de Deus. Ex. 19.5
  • quem era o nosso Deus: Deus de poder, mas relacional. Ex. 19.4
  • qual era a nossa história. Js. 4.21-24
  • que tínhamos promessas de Deus. Dt 11. 13-15
  • o que tínhamos de fazer para desfrutar das promessas de Deus. Dt 11.16-25
  • que minha nação e minha família estavam sofrendo porque os homens, líderes e sacerdotes dos lares tinham se tornado omissos e coniventes com a quebra dos mandamentos de Deus. Jz 2.11-15
Em minha condição de restaurado, tomei algumas medidas práticas:
1-      Recoloquei Dt. 6. 4-9 nas atividades diárias da família, Deus e sua Palavra;
2-       Para não ser radical, não quebrei a “caixinha de promessas”, mas montamos uma “caixinha de mandamentos” e estabeleci que ninguém retiraria uma promessa, sem antes retirar um mandamento;
3-      Descobri que tínhamos alguns ídolos lá em casa, coisas que ocupavam o primeiro lugar em nossa vida e não permitiam o tempo devido a Deus. Tirei-os do altar;
4-      Voltei a praticar o ensino bíblico da mordomia financeira: as primícias passaram a ser entregues ao Senhor;
Estou envelhecendo e, nos últimos trinta anos, não tivemos mais invasões na terra que o Senhor nos deu. Os homens que voltaram da batalha com Gideão continuam avivados e mantendo o compromisso de narrar os feitos de Deus, para que “a geração vindoura os soubesse, e os filhos que nascessem se levantassem e contassem a seus filhos; para que pusessem em Deus a sua esperança e não se esquecessem das obras de Deus, mas guardassem os seus mandamentos e não fossem como seus pais, geração rebelde, que nunca foi firme na sua confiança e cujo espírito não foi fiel para com Deus”. Sl 78. 6-8
Que Deus faça de mim e dos homens de minha geração, referenciais dignos de serem imitados e que preservem nossa terra dos males oriundos da omissão para com os mandamentos de Deus.
Walter da Mata

COMPARTILHE:

Um comentário:

  1. Maravilhosa esta ponderação, haja vista que muitos de nós realmente deixamos de falar e que deveríamos falar em nossas casa e com isto muito de nós estamos perdemos muito.
    Sinto-me desafiado através desta reflexão a saber o devo dizer também na minha casa para que nossa terra a tempo seja salva de ser invadida ou se já foi ter tempo de expulsar os invasores que querem descaracterizar o que Deus constituiu.
    Senhor Salva-me desta negligência!

    ResponderExcluir