NAVEGUE AQUI

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

DIAMANTES

Para se tornarem a jóia que hoje são
Pedra preciosa, diamante sem comparação
Francolino e Heroína, nas mutações do tempo
Suportaram a pressão e  o calor da provação

Não se faz do casamento, uma jóia para durar
Quem o calor e a pressão, decidiu não suportar

O homem duro, lavrador, garimpeiro de ilusão
Se encanta com Heroina, a frágil escrivã
E em campo de futebol e pista de avião
Deram asas ao amor, se renderam a paixão

Não se faz do casamento, uma jóia para durar
Quem o calor e a pressão, decidiu não suportar

Ocultos no coração da terra, sob fogo e pressão
Como  o amor da juventude, Nascem os diamantes,
Prontos, surgem preciosos na rocha do tempo
E seres apaixonados, se fundem em corpos amantes


Não se faz do casamento, uma joia para durar
Quem o calor e a pressão, decidiu não suportar

Filhos, noras, genros, netos e bisnetos
Aprendizes, com vocês, na arte de garimpar
Mas em nossos casamentos
Há muito, muito o que lapidar

Não se faz do casamento, uma joia para durar
Quem o calor e a pressão, decidiu não suportar

POEMA EM HONRA AOS 60 ANOS DE CASAMENTO DE MEUS PAIS:
FRANCOLINO E HEROINA. 15/11/1950 - 15/11/2010

Walter da Mata




COMPARTILHE:

Um comentário:

  1. Sem querer ser bajulador...achei muito bom! Conseguiu contar em versos e prosa, toda história!
    Muito bom mesmo. Mais um para o livro de poemas!
    Abraço.

    ResponderExcluir