NAVEGUE AQUI

sexta-feira, 18 de março de 2011

Lírios Nascem e Florescem na Lama


Você acredita em sacerdote? A pergunta foi feita em  pesquisa nas aldeias de Israel, desde Dã, ao norte, a Berseba, ao sul, no final do período dos Juízes. O resultado foi  que pelo menos 80% dos entrevistados não confiavam no sacerdócio, naqueles dias representado por Eli e seus filhos Hofni e Finéias.

Eram dias difíceis para o ministério sacerdotal, pois estes homens em nada lembravam  o antigo  sacerdote  Finéias, neto de Arão, que num gesto de bravura santa, eliminou um Israelita profano, na crise de Baal-Peor (Nm 25), tornando-se referencial de zelo pelo Senhor. Pelo contrario, os filhos de Eli conduziam uma procissão pecaminosa: profanavam o sagrado, tiravam para si a parte da oferta que não lhes pertencia, tomavam à força parte da oferta ao Senhor, se envolviam sexualmente com mulheres que serviam na porta da Tenda da Congregação e tratavam com desprezo as ofertas à Deus.

Entendo que as práticas de Hofni e Finéias não tinham o propósito de ofender a santidade de Deus, pois para eles, ela não existia. O texto de 2.12 de I Sm, diz que eles “eram filhos de Belial e não conheciam o Senhor”, portanto, a pratica do pecado no ritual do culto a Javé, em nada os incomodavam, pois o que é santo só tem valor para o piedoso.

Aqui surgem perguntas perturbadoras:

•    Porque os filhos de um sacerdote nunca chegaram a conhecer o Senhor?
•    Porque mesmo assim exerciam o sacerdócio?
•    Porque os adoradores do templo suportavam tamanha contradição?
•    Porque Deus não interveio como o fez nos dias de Nadabe e Abiú?

Não vou tentar responde-las, mas percebo Deus gestando um novo momento na história, por meio da vida de pessoas que, apesar de tudo, sobem regularmente para adorar e sacrificar ao Senhor. Não acreditavam no sacerdote, mas conheciam o Senhor a tal ponto de desejarem que seus filhos viessem a exercer função sacerdotal.

Foi no charco da podridão sacerdotal que floresceu um lírio como sinal de esperança: Samuel. Veio como fruto de um casal de que caminhava regularmente ao templo, adorava, ofertava e acima de tudo, cria no poder da oração. Samuel foi ensinado em uma “teologia” bem diferente da dos filhos de Eli, isto se percebe na oração de Ana, sua mãe, ao declarar que Deus é:

•    Senhor dos Exércitos 1.11
•    Santo – “Não há Santo como o Senhor” 2.2
•    Único – “Não há outro além de ti” 2.2
•    Senhor da vida – “O Senhor é quem tira a vida e a dá” 2.6
•    Soberano - “O Senhor empobrece e enriquece, abate e exalta”
•    Poderoso – “Tira do pó para herdar um trono de glória” 2.8

O resultado da oração e do conhecimento de quem Deus é, fez de Samuel líder incontestável em Israel: “E todo Israel, desde Dã até Berseba, conheceu que Samuel estava confirmado como profeta do Senhor” 3.20
Diante do descrédito do sacerdócio em nossos dias e de alguns “filhos de Belial” liderarem igrejas, desafio você para oração com base em quem Deus é, e aguardar Deus agir, pois “os lírios nascem na lama”. 

Walter da Mata
COMPARTILHE:

2 comentários:

  1. Cara, you are the man. Esse texto ficou fantastico.

    Acredito que verdadeiramente existem lirios ja sendo brotados nos dias de lama atuais.

    Um grande abraco e obrigado por ser instrumento de Deus para nossas vidas.

    ResponderExcluir
  2. Se confiasse-mos em nós mesmos e nossa justiça, jamais floresceríamos, mas graças a Deus pelo sangue de Jesus que nos justifica e purifica! Assim podemos florescer em meio a este lamaçal de pecados bebendo da mais pura fonte!

    ResponderExcluir