NAVEGUE AQUI

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Mais Por Menos


Este parece ser o sonho da maioria das pessoas. Ter e ser melhor, por um custo cada vez menor. Esquecemos que o melhor sempre custa mais, pois ser melhor exige que se agregue mais valor. Valor aqui pode ser tempo, pesquisa, dinheiro, amor, dedicação, renúncia, estudo, disciplina e outros.

•    Se o alimento orgânico é melhor, produzi-lo custa mais!
•    Se o emprego paga melhor, exige-se maior habilitação!
•    Um casamento excelente exige mais investimento!
•    Um corpo malhado vem de muito exercício!


O fato é que, se desejamos o melhor, precisamos ser melhores.  Se desejamos ser melhores, precisamos de dedicação. Queremos conquistar o melhor, sendo piores. Isto é fruto de uma deformação de caráter. Creio estar aqui a raiz da corrupção, da malandragem e, quiçá, do famoso jeitinho brasileiro; me dar bem, não importando como.
   
Sonha-se em ser rico, sem trabalho. Então escolhemos aquelas oportunidades escusas e desonestas como forma de atalho para o nosso sonho.
   
Certamente você já conheceu gente assim:

•    Quer a família ideal, educando menos;
•    Quer melhores amigos, mas continua egoísta;
•    Quer uma melhor igreja, comprometendo-se menos;
•    Quer ser cheio do Espírito, mantendo-se alérgico à oração e jejum;
•    Quer um casamento equilibrado, mas não faz investimentos;
•    Quer um templo confortável, mas não entrega seus dízimos;
•    Quer muito mais de Deus, mas sem renúncia de suas vontades;
•    Quer ser amigo de Deus e continuar sendo amigo do mundo;
•    Quer a classificação no concurso, mas continua viciado em lazer;
•    Quer ficar musculoso sem fazer exercício, então toma anabolizante;
•    Quer demonstrar poder, mas sem o caráter de Cristo, então faz “retété”;


No livro de Efésios, Paulo deixa bem claro como mudar esse paradigma: “Que andemos como é pertinente a vocação do nosso chamado” e isso é resultado de um “aprendizado em Cristo, de um despojar da identidade da velha natureza e revestir-se de um novo homem, gerado na identidade de Cristo”.  Isso é atividade constante, pois ser discípulo de Jesus é tomar cada dia a cruz e segui-lo.

Em relação a Deus não existe mais com menos, só existe mais com tudo.

Que Ele me ajude, pois sozinho eu não consigo!

Walter da Mata
COMPARTILHE: