NAVEGUE AQUI

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Esse cara...sou eu




O movimento na corte persa era grande. Clima de suspense, acusação e conspiração abalava os súditos do rei Assuero ou Xerxes? Ester, de origem judaica, chega ao poder como rainha, depois da deposição intempestiva de Vasti.

Lidar com as emoções de Assuero, era o mesmo que tentar deter o ímpeto de um furação.  “Foi este rei que comandou a construção de uma ponte sobre o Helesponto e que, ao ficar sabendo que esta fora destruída por uma tempestade logo após sua construção, ficou de tal forma irritado que ordenou que surrassem o mar com trezentas chicotadas e atirassem nele um par de algemas. Depois ordenou que os infelizes construtores da ponte fossem decapitados.” (1)

Neste contexto, Hamã, o agatita,   provavelmente descendente da linha real dos amalequitas, inimigos de Israel desde a peregrinação rumo a Canaã, alcançara tal prestígio diante do rei que veio a tornar-se o Grão-vizir do reino e assim, ordenou que todos se ajoelhassem perante ele.

Diante de tamanha honra, seu coração se eleva e move uma ação de extermínio aos patrícios da rainha Ester,  sob alegação de insubmissão ao rei.  Assuero, aprova de forma impetuosa e ainda financia o genocídio.

Mas, acima de um rei louco e um grão-vizir insuflado pelo inferno, tem um Deus regendo, não um naipe, mas toda orquestra do universo. Tira o sono do rei, a lealdade do Judeu Mardoqueu  é lembrada e o rei decide honrá-lo.

Na manhã seguinte, ao adentrar a sala real, Hamã ouviu a pergunta de sua vida: “O que se faz ao homem a quem o rei decide honrar?” Aquela não era uma pergunta comum, precisava ser compartilhada e planejada com amigos e a família. Reunidos, Hamã se gabou dos títulos, riquezas,  filhos e da autoridade que lhe fora dada.  A sugestão é a mais ambiciosa, pois mais que honra pública, premeditou a desonra  dos judeus, pois afinal: “Esse cara sou Eu”.

O tempo e a necessidade conspiravam contra os filhos de Israel e Ester era a única opção de chegar ao coração do rei.

Havia uma barreira a vencer: o imprevisível Assuero. Como convencê-lo  voltar  atrás em seu decreto? O histórico conspirava contra a oportunidade, afinal, quem tem a pretensão de algemar as ondas do mar, pode agir loucamente a qualquer momento.  Ester, contra todas as regras, entra na presença do rei, a história de Vasti lhe pesava na mente, mas a fé foi maior: “Irei ter com o rei, ainda que seja contra a lei. E seu eu perecer, pereci.

Ester é aceita, o povo é poupado, Mardoqueu elevado e Hamã é enforcado.

“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda.”  (Pv 18.18)
“Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. (Tg 4.6b)

(1)   Examinais as Escrituras. J. Sidlow Baxter. Vl 2. Pag 268

Walter da Mata.
COMPARTILHE:

2 comentários:

  1. Obrigado Pr. Walter por estes devocionais, sempre me alegro, me encorajo, me torna mais crente com suas palavras.
    Sempre serei grato,
    Omar Gerolim

    ResponderExcluir
  2. Benção de Deus esta meditação. Deus o abençoe!

    ResponderExcluir