NAVEGUE AQUI

sábado, 27 de dezembro de 2014



FELIZ FIM DE ANO!!!

O fim dos gametas, início do ovo...
O Fim da gestação, o início da vida exterior..
O fim  da infância, o início da adolescência..
O fim da juventude, início da maturidade...
O fim do dia, início da noite...
O fim da noite, início do dia..
O fim de um ano, início de outro...
O fim de um amor, início de outro..
O fim da opressão, início da liberdade..
O fim de uma conversa, início da reflexão..
O fim da vida, início da eternidade..
O fim só é o fim, quando for o fim do fim...
Tem gente que não está a fim de colocar um fim...
Pois sua própria vida, não tem um fim...
Vive sem finalizar nada... cheio de começos
Sem nenhum fim...
Seus começos não são começos...
São apenas ausências de fins....
Nada afim, entre  começo e fim.
Portanto, não vou desejar um feliz início de ano
Vou desejar, feliz fim de ano...
Pois bons começos só existem...
Para que sabe  colocar um fim!

               Walter da Mata
                 27/12/2014
COMPARTILHE:

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Parece que é, mas não é!

      Vale a pena pensar porque nosso servir, muitas vezes afasta as pessoas a quem queremos servir. O que é muito contraditório: a pessoa a ser servida, não se sente atraída pela pessoa servidora.  Talvez, se voltarmos os olhos para estas duas palavras e seus significados, possamos nos abrir para um servir eficaz. Abaixo, estão  semelhanças entre autonomia e autossuficiência, na perspectiva do Dr. Homero Reis e quem sabe entendo isso, possamos dar um passo em nosso crescimento como seres humanos.

         “Autonomia é liberdade de ação, consciência de limites e capacidade de realização. Requer emancipação das prisões emocionais. Refere-se a alguém que está em paz com seu passado porque não tem nada mal resolvido ou a temer em sua história. Alguém que se reconciliou consigo mesmo e com suas relações, que leva uma vida leve, que mantém humor saudável, que é receptivo e agregador, que não se sente constantemente ameaçado, nem se isola dos outros; que cultiva a gratidão e a generosidade, que não se julga o dono da verdade. Autônomo é alguém que sabe pedir ajuda porque conhece seu limite e está em paz com isso; é alguém que reflete em suas ações a saúde de uma vida madura e cheia de significado; é alguém que coloca sua capacidade a serviço do outro, na integridade do que se é. A autonomia se sustenta na humildade e na bondade.

         Autossuficiência, ao contrário, reflete prepotência e sentimento de independência, sustenta-se no egoísmo e gera solidão. Autossuficiente é alguém que se julga capaz de sozinho, dar conta da sua vida e acha que ninguém tem nada a ver com ela. É alguém que faz o que lhe “dá na telha” sem ouvir conselhos, que não aceita participação, que quer se virar sozinho. A autossuficiência se sustenta na arrogância, na mágoa, no rancor e na solidão, é alguém que não está preparado para servir. Alguém autossuficiente julga-se o dono da verdade. Tem uma atitude e uma emocionalidade de desqualificação dos outros e não considera a aprendizagem como um fenômeno relacional”.   http://www.homeroreis.com/

1-    Onde me encontro nesses espaços?
2-    Que jornada preciso fazer para transitar da autossuficiência para autonomia?

3-    Quem vou convidar para me apoiar na  jornada?
COMPARTILHE:

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014


A HISTÓRIA DE NÓS DOIS!

Nos dia 5-7/12/14, estivemos ministrando no IV Encontro de Casais da   Assembleia de Deus – Planaltina DF, pastoreada pelos Pastores  Odilon Xavier  e Pastora Flávia Xavier. 



O encontro aconteceu no Hotel Tauá, ponto histórico de Araxá MG,  sob o tema:     História de nós Dois, com quatro palestras:


  •         O processo de           Comunicação no                   Casamento;
  •        Sexualidade no Casamento;
  •        As quatro estações no Casamento;
  •       Tirando as máscaras na relação conjugal;
                                                                                                             
                                                                                                 Foram dias abençoadores,  pois   além de desfrutar da comunhão com muitos casais, conhecemos

Araxá, um dos lugares   maravilhosos  do Brasil, desfrutamos da presença de Deus agindo na vida dos casais. Foi gracioso ver Deus curando histórias, abrindo espaços para escrever momentos novas  histórias na vida dos casais. 

                                                                                           

Bete e eu, usamos esse espaço para conversas sobre nossa jornada conjugal, que já completou 39 anos e os pontos de crescimento nos quais  precisamos investir.



  Nos colocamos  novamente  a disposição de Deus, para que ele use as nossas vidas para a influenciar nossos filhos, noras,  netos,  netas e também as famílias, evangélicas ou não, em qualquer lugar onde Ele nos enviar.


Não só pela Palavra ministrada, mas principalmente com um casamento saudável e casamento saudável para nós, não é um casamento sem problemas, mas uma relação onde os problemas são resolvidos.

Walter da Mata
COMPARTILHE:

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Família do Coração Valente.
         Este foi o tema que Deus me permitiu ministrar no Encontro das Famílias Pastorais Metodistas da Quinta Região, que engloba Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Tocantins, Goiás e Minas Gerais, pelo menos foi isso que captei em minhas prosas com os participantes.
          Cerca de cento e dez famílias lotaram o auditório do Water Park, em frente ao Boulevard Hotel Caldas Novas, entre casais pastorais, seusfilhos e filhas jovens, pois crianças e adolescentes tiveram ministração à parte.
     Com uma programação bem distribuída entre Palestras, atividades relacionais e lazer, fui surpreendido com o amor e a acolhida de nossos irmãos metodistas, a equipe MAPA e,especialmente, o Bispo Adonias Lago e sua esposa Marta Lago, pois nos receberam como se fôssemos antigos amigos, dos quais recebemos palavras de afirmação. Obrigado!
      Deram-me total liberdade para ministrar a Palavra dentro do estilo Walter da Mata, e fiquei gratificado com o agir de Deus na troca de experiências em cada uma das palestras. Tive a oportunidade de compartilhar o que Deus tem feito em minha família, mesmo no meio dos meus erros e consertos, falhas e perdões, o que abriu espaço para restauração nas famílias; alguns seexpressaram e espero que, no silêncio de alguns, o Espírito tenha trabalhado.
         Minha maior surpresa veio quando já saía para retornar a Brasília. Fui abordado no saguão do hotelpor um casal pastoral, com longa jornada no ministério, e ali foi um momento de Deus abrir a porta para cura de uma dor de longos anos, causada pela  perda, mas que ainda continuava sangrando; se Bete e eu tivéssemos ido só para estar com eles já teria valido a pena.  Esquecemos a pressa, nos assentamos, compartilhamos, choramos,oramos, nos abraçamos e fomos ministrados por Deus. Deus abriu o sorriso no lugar da dor!
         Obrigado, Bispo Adonias e Marta, pelo amor dispensado a Bete e a mim!




COMPARTILHE:

terça-feira, 26 de agosto de 2014




O VETO QUE DECIDE!

       Com o  VOTO  digo o que quero. Escolhemos o que desejamos para o futuro. Mas lemos o futuro pelas lentes do passado. 
     Quando fores votar, VOTE em compromissos  assumidos e cumpridos, eles revelam a pessoa que está prometendo.
  • Quais compromissos essa pessoa honrou em sua história?
  • Quais os valores espirituais, morais, familiares e sociais desta pessoa?
  • Ela será  identidade da organização!

      Todo VOTO é também um VETO. Com o VETO digo o que não quero. Talvez o VETO seja o lado mais forte do VOTO. É quando sou capaz de dar uma declaração de basta, chega, não dá para continuar do mesmo jeito.  Com o VETO, abro espaços para o nascimento de novas idéias, oportunidades, temos a convicção de que tentamos e revelamos nossa insatisfação de como as coisas estão estabelecidas.
      Não VOTAR é não VETAR o que está nos incomodando.
     Pense nisto, nas eleições da CEADDIF. 
             Me dê o seu VOTO 
                                         e declare seu VETO!

Walter da Mata - 01 na chapa eleitoral

 Walter da Mata
COMPARTILHE:

sexta-feira, 1 de agosto de 2014





UM DOS ERROS DE MINHA MÃE

     Mães sabem tudo, percebem o imperceptível e quando a gente vai com milho, ela já está com o fubá prontinho. Mas nem sempre é assim, minha mãe não acertou todas, mas não posso culpá-la, pois minha avó também cometeu o mesmo erro. Então,  perdoou minha mãe.
    Mas, de que mesmo estou falando? Admitindo publicamente um erro à minha mãe? Mães não erram, são sagradas, tem uma espécie de altar no coração dos filhos; mas ainda assim, minha mãe errou. Ela errou quando  disse que “mentiras tem pernas curtas”, mas não posso imputar-lhe  culpa, pois isso me parece ser uma verdade apenas na relação filho e mãe, onde o coração materno ouve  o que não foi dito, vê o que está escondido, uma espécie de sexto sentido, porém não serve para as demais relações.
    Nas convivências sociais, a mentira sofreu mutações, passou pelo circo e roubou do palhaço as pernas de pau; agora ela dá passos largos, percorre tempos e distâncias até antes inconcebíveis e penetra em todos os ambientes: nas relações comerciais, matrimoniais, na fraternidade das igrejas; na política então, se tornou velocista.
  As pernas de pau da mentira,  sempre cobertas com o manto multicolorido para impedir que a madeira crua e mal trabalhada seja vista, roubando assim, a beleza do espetáculo;  elas colocam nas alturas pessoas de caráter deformado, que vivem um auto engano, enquanto enganam a muitos, tirando proveito à cada passo.
   Os saltimbancos, sobre suas pernas de pau, não vendem engano, vendem alegria, eles não mentem, todos sabem que não são gigantes, mas causam muita admiração, por se equilibrarem em grandes alturas;  os que vendem engano, não tem pernas de pau, tem mesmo é “cara de pau”.
    Perdoe  mamãe, por expor publicamente seu erro.


Walter da Mata
COMPARTILHE:

segunda-feira, 21 de julho de 2014

DIA DO AMIGO

O dia do amigo foi adotado em Buenos Aires, na Argentina, com o Decreto nº 235/79, sendo que foi gradualmente adotado em outras partes do mundo.
A data foi criada pelo argentino Enrique Ernesto Febbraro. Ele se inspirou na chegada do homem à lua, em 20 de julho de 1969, considerando a conquista não somente uma vitória científica, como também uma oportunidade de se fazer amigos em outras partes do universo. Assim, durante um ano, o argentino divulgou o lema "Meu amigo é meu mestre, meu discípulo e meu companheiro".
Aos poucos a data foi sendo adotada em outros países e hoje, em quase todo o mundo, o dia 20 de julho é o Dia do Amigo , é quando as pessoas trocam presentes, se abraçam e declaram sua amizade umas as outras, na teoria. No Brasil, o dia do amigo também é comemorado em 20 de julho.    “Extraido da Web”
Faço algumas reflexões  lembrando que o dia do amigo veio de um feito extraordinário da humanidade: a ida do homem a lua.
Parece que é mais fácil ir à lua...
·         que entrar no carro e fazer uma visita;
·         que ir ao coração de outra pessoa;
·         que andar pequena distância para reconciliar;          
·         que pedir perdão quando ferimos nosso irmão;
·         que abandonar o orgulho;
·         que se importar com a dor do outro;
·         que confessar nossa maldade, inveja e cobiça;
·         que demonstrar arrependimento;
O homem deixou marcas no solo lunar...
Eu preciso e quero graça e sabedoria da parte de Deus para marcar seu coração, não com as marcas do meu pé, mas com palavras e gestos inapagáveis, que o ajudem a encurtar distâncias entre os irmãos e que marquem nosso caminho rumo ao coração de Deus.

Que marcas  deixamos na vida das pessoas que cruzam seu caminho? 

WalterdaMata
COMPARTILHE:

sábado, 19 de julho de 2014





MORRE O  PAI DO PINTASSILGO
Homenagem a Rubem Alves

           Rubem Alves nasceu na cidade de Boa Esperança, no interior de Minas Gerais, em 15 de setembro de 1933. Foi um pensador de muitas frentes: psicanalista, educador, teólogo e escritor brasileiro, tendo escrito livros e artigos com temas religiosos, educacionais, existenciais e infanto-juvenis. Muitas de suas obras foram publicadas em outros idiomas, como inglês, francês, italiano, espanhol, alemão e romeno.
        Dos textos de Rubem Alves, o que mais me inspira é parábola do pintassilgo e as rãs. Resumo o texto assim: Um pintassilgo descobre um fosso escuro, sem alegria, cheio de gemidos e pouco arejado e em meio a isso, uma população de rãs bem adaptadas ao ambiente. Nosso passarinho, fica angustiado com a sub vida e decide falar das coisas belas que aconteciam fora do fosso e que estavam disponíveis para as rãs; falou de sol, cores, flores, perfumes, músicas de tonalidades variadas, vento, brisa e arco-iris; bastava saírem do fosso e desfrutariam de tudo isso. Era gratuito! 
        Suas palavras foram acolhidas como delírio, pregador de mentiras, enganador dos incautos e teve que bater asas e deixar o fosso, sob palavras de ordem: "Não ha vida fora do fosso"!. Porém, em sua angústia, anos  mais tarde decide voltar e insistir em uma vida nova para as rãs. Cheio de esperança e com sentido de missão, desceu ao fosso  e quando menos percebeu estava enjaulado, levado a morte e mumificado foi posto por memorial na ponta de uma estaca. O parábola me lembra o pintassilgo por excelência: JESUS DE NAZARÉ!
        Sua inscrição era algo assim: Aqui está quem ensinou que existe um outro mundo, que não o nosso fosso "maravilhoso"! 
        Esta parábola me inspira a viver e falar de coisas novas  na minha vida,  família, igreja, instituições para-eclesiásticas, cidade, política e enfim, na vida. Podemos fazer diferente, para tanto, precisamos escutar outras vozes, discernir e aplicar as transformações tão necessárias para renovação da vida.
Enfim, precisamos ter coragem para sair do fosso!
WalterdaMata
COMPARTILHE:

quarta-feira, 9 de julho de 2014







LÁGRIMAS DE DAVI LUIZ.
       Foi gesto de amor, identificação e apoio de Davi Luiz a James Rodriguez. Todos nós em algum momento da vida sofreremos derrotas, frustrações, perdas, decepções, nos sentiremos humilhados e ainda vivendo o peso da culpa. Davi Luiz foi lá abraçou e permitiu que James chorasse em seu ombro.

      Ontem, quem chorava era Davi Luiz, sendo capitão interino da equipe, chorou, pediu desculpas, mas não vi ninguém do Brasil que o abraçasse;  mesmo não fazendo parte da cultura alemã,   pois eles são profissionais ao extremo, não fazem grandes shows quando marcam um gol e não choram diante da derrota; mas até eles foram capazes de estender acolhimento aos nossos atletas, agora, ver brasileiros, que endeusam seus ícones, ofenderem nossos atletas e equipe técnica, revelando nossa capacidade de transitar velozmente entre o céu e o inferno emocional, sem ao menos dar um abraço para acalmar a dor e o sufocamento pela ausência de palavras para explicar o inexplicável, é admitir que só valorizamos o show e não sabemos ser fraternos na hora da dor.

      Onde está a mídia, que envolveu cada criança numa euforia sem fundamento,pois é sabido que não temos um time brilhante e mesmo times brilhantes perdem; pergunte isto a geração de Zico e Sócrates. 
      Abracemos nossos irmãos brasileiros, os que vencem e os que perdem, pois afinal somos um povo só, quer nas vitórias ou nas derrotas. 
Walter da Mata






COMPARTILHE:

segunda-feira, 7 de julho de 2014




O LEITE DERRAMADO.... E CHORADO

"Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e não o quiseste! Eis que a vossa casa ficará deserta." Mt 23.37
O Muro das Lamentações é um testemunho histórico de que não tomar as decisões corretas no tempo certo, trará consequências. 
Cada lágrima derramada ao pé do muro,cada suspiro, cada gemido é uma lembrança que em algum momento se deixou de fazer o que devia ter sido feito.
Não ouviu os profetas, fez alianças espúrias com o paganismo, matou a voz da advertência e finalmente rejeitou e matou o próprio Jesus.
Agora, ao pé do muro se diz: Poderia ter obedecido, devia ter me comprometido, se eu tivesse ouvido quem me advertiu...
A vida de muita gente é assim, um muro das lamentações, não fez na hora certa e nem tem coragem para reparar, mesmo que com algum atraso, os compromissos que ficaram pedentes, então vive a lamentar.
O tempo verbal preferido do MURO DAS LAMENTAÇÕES é o pretérito imperfeito: Eu poderia... eu deveria... se eu tivesse.. Expressa um pesar, mas não um arrependimento, pois nada é feito para que as mudanças necessárias aconteçam. 

MUDANÇA SE FAZ AGORA OU SE  LAMENTA POR MUITO TEMPO
Refletir: Que atitudes praticas preciso tomar para fazer do muro das lamentações uma torre de celebrações?
WalterdaMata
COMPARTILHE:

terça-feira, 1 de julho de 2014


Porque votar no pastor Walter da Mata  para à presidência da CEADDIF.

Temos uma instituição fundada em 1977, isto é, 37 anos de existência, mas com pouco significado, objetivo e valores.
Ao mesmo tempo em que crescemos, diminuímos em nosso significado. Não vivemos uma missão porque não temos uma visão. Sei que o papel do líder é desenvolver a visão.
Dediquei mais de 12 anos de serviço nos diversos cargos da CEADDIF:
·         Presidente da Comissão de Ingresso: montamos o mecanismo que ainda hoje vigora;
·         Primeiro secretário: Gestão até hoje imbatível. Implantamos o banco de dados local e o seu vínculo com a Geral;
·         Primeiro Vice-presidente: dei o suporte para a boa liderança do Pr. Sóstenes Apollos;
Escolhi, por algum tempo, não concorrer a cargos da mesa, com objetivo de me equipar para algo que, no meu entender, justificasse a existência de uma instituição desta magnitude, isto é, que a CEADDIF cuide primeiro de seus pastores e depois da instituição.
        Sou um homem de 60 anos e tenho que escolher bem onde e como investir  tempo e vida, e uma das escolhas é não alimentar vaidades de ninguém, nem as minhas, por mais inebriantes que sejam.
              Em conversas que tenho tido nesses anos,  li vaidades e até um pouco de ufanismo. Essa fase da minha vida, se já houve, passou.
Meu chamado é para tocar o coração das pessoas, ajudá-las a relacionarem-se melhor com Deus, consigo mesmas, com a família, igreja... e para mim, a Instituição  deve ser catalisadora desses processos na vida dos pastores, investindo recursos de tempo e finanças nisso, é o mínimo que se deve fazer.
Que nossa Convenção seja ponto de encontro para treinamentos de capacitação ministerial, de onde o pastor sairá mais equipado para exercer o chamado na igreja, justificando o investimento que a igreja faz na Instituição.
Pois é, se existe hora para mudar é agora. Até porque, se juntarmos nossos  mais de 37 anos de instituição, precisamos perguntar se nos orgulhamos de nossa história.
       Qual legado temos deixado para a nova geração de pastores?
       Quando vou a uma AGO, o que é agregado à minha  vida? Saio de lá mais parecido com Jesus? Melhor obreiro? Melhor esposo? Com desejo de ter mais ética cristã?
       Quando não vou, sinto ter perdido uma oportunidade de crescimento?
       Que estrutura física construímos para atender nossos membros?

 É por essas e outras, que estou pleiteando a presidência, pois o líder precisa ter uma visão e os meios de implementá-la; não posso compor em outra função uma equipe sem estes valores durante quatro anos, seria jogar  fora um tempo precioso, que nem sei se vou viver.

Conto com seu voto e com seu apoio em atrair outros para este momento de mudança.
COMPARTILHE:

segunda-feira, 9 de junho de 2014



QUEM PASTOREIA O PASTOR?


1- A coisa mais relevante nesta pergunta em a ver identidade do pastor: Ele ainda continua senso ovelha? A unção ou ordenação  o faz divino, inerrante, dono de todo saber e independente?  Coisa dura para muitos admitirem.
2- A segunda coisa é pastoreio, que é igual a cuidar: O pastor sendo ovelha,precisa de receber cuidado: Ser ouvido, amado,corrigido, restaurado, ensinado e alimentado. Para isso é necessário submissão, isto é, reconhecer em outrem, autoridade espiritual e não  legal, sobre sua vida. Outra coisa difícil de aceitar.
3- Terceira relevância: Quem vai fazer isto? Essa pessoa nasce por meio de relacionamentos comprometidos e saudáveis, que florescem em ambientes de graça, onde as pessoas se posicionam simplesmente como humanos e não como semi deuses. Admitem suas fraquezas, pecados, tentações e experimentam Tiago 5.16.  Pastoreio de pastores é coisa para homens e não "deuses".
4- Pastoreio é uma caminhada de relacionamento. Aqui vai a segunda maior crise: a agenda. A agenda pastoral é cheia de atividades para com os outros, colocar uma tempo regular de cuidar de si mesmo não faz parte de nossa teologia pastoral prática. Mas quando se verifica este item, se descobre-se que a agenda lotada é um pretexto para não se deixar cuidar. Como diz o professor Homero Reis: "agenda não é uma questão cronológica, mas uma questão ontológica". Arrumo tempo para aquilo que julgo importante.
5- Existem estruturas de conscientização e preparo para que pastores experimentem pastoreio mútuo. (www.pastoreiodepastores.org). Isso deveria ser matéria de Cursos de Teologia, pois a nova geração seria menos endurecida que a atual. Um geração que morre na negação.
6- Crises pessoais, familiares, existenciais e ministeriais, são oportunidades que Deus dá aos pastores para buscarem ajuda. Quem não as experimenta? O próprio apostolo Paulo tinha alguém para ouvir seu clamor: "Procure vir ter comigo depressa. Me sinto abandonado"

Sonho em ver pastores, pastoras e cônjuges pastorais, recebendo pastoreio por meio de pequenos grupos e assim recendo cura e ferindo menos, enquanto lidera outras ovelhas.
WalterdaMata.
Membro da Equipe Mapi DF
Sou catalizador da visão de pastoreio de pastores
COMPARTILHE:

segunda-feira, 26 de maio de 2014




XÔ SATANÁS! 
  


      O verbo se fez carne e habitou entre os homens. Nada  é mais inspirador e nada é mais desafiador que a decisão divina da encarnação.
      Paulo usa esta “loucura  divina”, o desendeusamento,  para provocar  a   insensatez  humana  de   se divinizar. No texto de Fp 2, o desafio é um convite a humilhação, abrir mão de privilégios: “Tentem pensar como Jesus pensava. Mesmo em condição de igualdade com Deus, Jesus nunca pensou tirar proveito dessa condição. Quando chegou a hora ele deixou de lado os privilégios da divindade e assumiu a condição de escravo, tornando-se humano!         ... Ele não exigiu privilégios especiais, mas viveu uma vida abnegada e obediente, tendo também uma morte abnegada e obediente – da pior forma: a crucificação.” (Mensagem)
          Talvez o maior desafio da liderança cristã, não é o de liderar, mas o de servir. Nos evangelhos advertência de Jesus é que o modelo de ser o maior no reino de Deus, é o ser menor. No mundo, o líderes se assenhoreiam  dos liderados, mas “entre vós, não será assim”. Parece  que  esquecemos disto, pois o fazemos pelo poder, é algo assustador: manipulamos, sofismamos, chantageamos, subornamos, oprimimos, caluniamos, difamamos, ferimos e matamos.
        Jesus, quando percebeu a intenção do povo em fazê-lo rei, subiu a monte para orar, pois desde  inicio de seu ministério “os reinos do mundo” lhe foram prometidos e em todas as ocasiões ele soube rejeitar. O contrassenso,   é que esta parte do evangelho não nos empolga , pois o desejo de “reinar” sobre as pessoas é uma característica da liderança evangélica de nossos dias.        Ser humilde, servir, andar com as pessoas, morar e vestir de modo simples é entendido com sinal de fraqueza; a ostentação tem sido ensinada como forma de liderar, pois afinal, você é o que você tem e não você tem o que você é.
        É interessante a frase: “Jesus comia com a tropa”. A refeição fala muito de quem somos, tanto no que comemos e também com quem nos assentamos à mesa. Uma aberração da ostentação humana é termos gente se alimentando de ouro, Bolo de chocolate com ouro e diamante, capuccino com ouro em pó, em lugar da aromática canela, e assim por diante. Jesus se assentava com seus discípulos e comiam juntos, do mesmo pão e do mesmo peixe, pois não existe espaço mais íntimo de companheirismo  que  a  mesa de refeição.
       Entre muitas loucuras do  movimento evangélico, títulos mirabolantes, tronos, séquitos, mantos adornados a ouro, ainda não ouvi de alguém se alimentado de ouro e diamantes, (sem nenhum valor nutritivo), mas tem visto alguns querendo  dar a impressão de que estão ascendendo cada dia para um nível de divindade, sem entender que quanto mais humanos conseguimos ser, mais parecidos com o Deus encarnado nos tornamos;   e o quanto   divinos tentamos ser, mais nos satanizamos, a famosa “síndrome de lúcifer” fica mais evidente. Honrar o Deus do trono é pouco para tamanha  ambição, precisamos de um trono, onde as pessoas vão mencionar nosso nome, vão rogar nossos favores, mendigar um toque de nossas mãos, e assim seremos conhecidos em toda terra.
        Precisamos ouvir mais uma vez a solene lembrança de Paulo: “Tende em voz o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus”. Seja Ele nosso ícone de liderança e poder e se por alguma razão formos honrados, façamos como os vinte e quatro anciãos, que lançavam suas coroas aos pés do que estava assentado sobre o trono.

       Seja a Ele glória para todo o sempre”
                        Walter da Mata


COMPARTILHE:

quarta-feira, 21 de maio de 2014



QUANDO 
               A NOITE 
                            CHEGA....


                                                       FOTO RUY CONDE JUNIOR



              "Enquanto é dia tenho que realizar a obra daquele que me enviou; a noite vem quando ninguém pode trabalhar" João 9.4
  O contexto em que estas palavras foram ditas, era sem os recursos tecnológicos que  permitem trabalhar continuamente, sem ao menos perceber se é dia ou noite. Tem tecnologia para fazer noite em dia e dia em noite no micro universo de trabalho. Nos dias de Jesus, a noite era para recolhimento, descanso e buscar segurança, e o dia era tempo para viajar, produzir e ganhar vida. Isto é claro no diálogo da chegada em Emaús: “ o dia declina, fique conosco, não siga viagem”.
Jesus apenas usa a vivência, para ilustrar uma verdade maior: o dia é o tempo oportuno para se tomar decisões e transformá-las em ações, e as noites, são os dias que não voltam mais, oportunidades perdidas, incertezas e momentos de visão ofuscada.
           O dia lembra bem de oportunidade, de capacidade física, mental e emocional para cumprir o chamado. A noite fala dos limites em todas estas áreas e não há ninguém que escape da noite.
           A questão é,  a noite pode ser um período de boas lembranças, de passar histórias a nova geração, de ser lembrado com honra, mas também pode ser um período de amargura, ressentimentos e profunda tristeza por ter deixado as oportunidades passarem. A qualidade da noite depende muito de como se viveu o dia.
          Tem gente que diz: Quando eu aposentar... quando eu arrumar um tempo... depois que eu conquistar... aí vou realizar as obras de Deus. Acontece que noites chegam repentinamente, não marcam datas, não olham data de nascimento e nem esperam realizações...  Existem pessoas jovens vivendo a noite da vida, foram arrastadas para a escuridão pelas desilusões, por se considerarem incapazes de vencerem os conflitos próprios do labor do dia. Preferiram fugir  e antecipar a noite, sem o mínimo desejo que um novo dia nasça.
          A mensagem da encarnação de Jesus, é: “O povo que estava em trevas, viu uma grande luz”
          Se você antecipou sua noite, por algum ressentimento, dor ou qualquer enfermidade da alma, e isto tirou sua visão e o desejo que um novo dia ressurja, Deus quer abrir seus olhos agora, curar suas emoções para que você possa viver o hoje,  enquanto é dia. 
         Procure ajuda. Alguém com graça de Deus para ouvir seu coração e ministrar o poder de Jesus. Um grupo de pastoreio é lugar de transformar noites em dias de sol radiante.
         Venha para o labor, para o trabalho, Deus  está te convocando hoje, agora, pois há muito para ser feito onde se está plantado, seja na escola, na rua, no bloco, trabalho e na igreja... "floresça hoje, onde você está plantado".

  Pastor Walter da Mata
                                                                                            
Simplesmente ser Igreja


COMPARTILHE:

sexta-feira, 16 de maio de 2014





De que morreu?



Entalado pelas palavras que deixou de falar!
Afogado pelas lágrimas que deixou de chorar!
Aprisionado pelo ódio que insistiu em guardar!
Sufocado pelos perdões que deixou de liberar!
De queda do orgulho que insistiu em sustentar
!
Da falta de arrependimento que deixou de sentir!
Eletrocutado pelas mentiras em que se agarrou!

Abandonado pelos  amigos que deixou de conquistar!
Agarrado aos bens que insistiu em ajuntar!
Imobilizado pelos abraços que deixou de dar!
Entediado pelos sorrisos que deixou sorrir!
Condenado pelas pessoas que viveu a julgar!
Confrontado pelas negações que sustentou!
Abafado pela máscara que insistiu em usar!
Paralisado por um coração que deixou de amar!

Walterdamata
COMPARTILHE:

quinta-feira, 8 de maio de 2014

PORQUE SÃO POUCOS OS CEIFEIROS?





"Grande é a Seara, mas os ceifeiros são poucos"  Lc 10.2
Porque esta desproporcionalidade? Porque faltam ceifeiros?

Vou tentar buscar no texto algumas possíveis respostas:
9.58: Tem gente que sonha com o conforto, se decepciona ao descobrir que o Filho do Homem não tinha onde repousar a cabeça;
9:59: O compromisso de alguns não está em primeiro lugar;     
10.3: Conviver com lobos, não é agradável;
10.4: Ajuntar coisas não é a meta do ministério;
10.8: Aceitar os limites das pessoas. Coma o que eles tiverem. Não exigir banquete.
10.11: Nem todo mundo vai gostar da gente.
10.21: O mistério do evangelho é revelado aos pequeninos. Tem gente que se acha sábio demais para servir a Jesus;

Mas poucos que se  comprometeram, receberam autoridade sobre os demônios e seus nome estão escritos nos céus e por isso fazem diferença na terra.
Haverá galardão para cada obreiro que não deixou a colheita se perder, se permitiu afadigar na obra, pôs a mão no arado e não olhou para trás.
WalterdaMata
COMPARTILHE:

ANTES QUE ACABE....





         O Dr Roberto Aylmer, lembra que no mundo competitivo, sobrevive quem melhor trata seu cliente. Tudo é feito para mente-lo por perto, boas ofertas, bons produtos, tratamento vip e tecnologia de ponta. A frase de impacto é: o cliente é o rei. Trate-o com majestade!
        Mas, quando se trata dos relacionamentos mais próximos, casamento e família, dispensamos a eles tecnologia não de preservação e de proximidade, mas da era extrativista: o outro existe para ser explorado e arrancar dele o máximo possível, para se viver cada vez mais confortável, como se a fonte fosse inesgotável,. Foi assim que florestas e riquezas migraram para os países colonizadores.
       Só que, assim como os recursos naturais não são inesgotáveis e precisam ser renovados, e o nome disto é consciência ecológica; as relações onde não ha a preocupação de preservar o outro, repondo diariamente os tanque emocional, mantendo-o satisfeito, realizado e feliz na convivência, levam ao esgotamento de seus recursos emocionais e físicos. Casamentos que foram jardins e que hoje são desertos, eram fontes de alegria, se tornaram brejos secos.



       Traga hoje para seu casamento uma consciência de preservação: pare de irritar, depreciar, agredir, ferir, desprezar, ser indiferente e comparar; plante sementes repondo o que foi extraído por tanto tempo, sementes de amor, compreensão, perdão, carinho, afeto, sexualidade regular e prazerosa.
      Comece hoje a cultivar um novo tempo no seu casamento, antes que se esgote e a alegria vai embora levando junto a pessoa que um dia foi tão amada.
WalterdaMata
COMPARTILHE: