NAVEGUE AQUI

segunda-feira, 7 de julho de 2014




O LEITE DERRAMADO.... E CHORADO

"Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e não o quiseste! Eis que a vossa casa ficará deserta." Mt 23.37
O Muro das Lamentações é um testemunho histórico de que não tomar as decisões corretas no tempo certo, trará consequências. 
Cada lágrima derramada ao pé do muro,cada suspiro, cada gemido é uma lembrança que em algum momento se deixou de fazer o que devia ter sido feito.
Não ouviu os profetas, fez alianças espúrias com o paganismo, matou a voz da advertência e finalmente rejeitou e matou o próprio Jesus.
Agora, ao pé do muro se diz: Poderia ter obedecido, devia ter me comprometido, se eu tivesse ouvido quem me advertiu...
A vida de muita gente é assim, um muro das lamentações, não fez na hora certa e nem tem coragem para reparar, mesmo que com algum atraso, os compromissos que ficaram pedentes, então vive a lamentar.
O tempo verbal preferido do MURO DAS LAMENTAÇÕES é o pretérito imperfeito: Eu poderia... eu deveria... se eu tivesse.. Expressa um pesar, mas não um arrependimento, pois nada é feito para que as mudanças necessárias aconteçam. 

MUDANÇA SE FAZ AGORA OU SE  LAMENTA POR MUITO TEMPO
Refletir: Que atitudes praticas preciso tomar para fazer do muro das lamentações uma torre de celebrações?
WalterdaMata
COMPARTILHE:

Um comentário:

  1. A GANGORRA - Gióia Junior
    .

    Quando eu desço, você sobe,
    quando eu subo, você desce...
    Lá fora dança a gangorra,
    desde que o dia amanhece...

    Desce e sobe, sobe e desce
    num compasso sempre igual:
    No centro, um ponto de apoio
    prende a tábua horizontal!

    Há borrões de sol vermelho
    na loira manhã sem par,
    e a gangorra não descansa,
    sobe e desce sem parar...

    A gangorra é como a vida,
    nos movimentos que tece;
    quando eu desço, você sobe,
    quando eu subo, você desce...

    Você, que ficou no alto,
    não deve de mim sorrir;
    você terá que descer,
    quando eu tiver que subir!


    ** Eu amo essa poesia** de Gióia Jr*** Eloides Silva da Mata

    ResponderExcluir