NAVEGUE AQUI

sábado, 25 de fevereiro de 2017

GIRASSÓIS DA VIDA


Que os girassóis vivam muito
Contorcendo a caule no ciclo do sol
Pois mesmo no escuro da noite
Sua vida colore até o arrebol

         Muitas flores e muitos sóis...
         Encabeça a fila, uma flor maior
         Passarela aberta de tom amarelo
         Pra o desfile de sóis de fulgor menor

Pétalas viçosas estão a murchar
A cada ocaso, a beleza se esvai 
Tapete amarelo, o chão adornar
Aviso que a vida também passará

        O romper belo de muitas flores
        Ao lado da flor que morre ao crisol 
        A vida e a morte, convivem na caule
        Lembrança que sempre teremos o sol

Olhando de perto a flor que morre
Vê-se escondida de forma pungente
O germe de vida em forma de grão
Vida que segue em cada semente

      Que floresçam sempre muitos girassóis
      Que girassóis morram sempre
      Quem a vida mantenha o ciclo do sol
      Nascendo e morrendo... virando sementes
          
                                                        Walter da Mata
COMPARTILHE:

Nenhum comentário:

Postar um comentário