NAVEGUE AQUI

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

JESUS E A GOIABEIRA







Reservei um tempo para ver e ouvir o vídeo de Damares Alves, pois o tom zombeteiro das postagens e comentários parecia até que tal fala se dera num contexto de Estado. Porém, o testemunho dado pela pastora e agora Ministra Damares Alves foi num contexto de igreja e já há algum tempo, mas passou ocupar as mídias, tão logo ela ter sido convocada para ser a Ministra dos Direitos Humanos. 

Pelo estilo jocoso dos comentários, fica implícito que duvidam da sanidade mental de Damares Alves. Vamos a algumas considerações:

1-      O depoimento foi dado num contexto de igreja e em um culto evangélico de cunho pentecostal, e uma das marcas do movimento pentecostal é a manifestação sobrenatural de Deus. Claro que existem contextos protestantes que não creem nas manifestações sobrenaturais divinas e nem malignas, mas esse nem é o nosso tema aqui, pois falo de um contexto de gente que crê;

2-      Com idade de dez anos, sua diversão e abrigo se dava nas árvores de seu quintal. Foi na condição de criança que ela viveu tal experiência, então é totalmente compreensível que Jesus ocupe esse contexto específico com linguagem visual e verbal próprio da criança, experiência única e pertinente a faixa etária, portanto, não se repetirá. Marcou aquele momento e o restante da vida. Quem lê as Escrituras, encontra manifestações sobrenaturais em diversas ocasiões:  a  Abraão em sua tenda e no cume do monte Moriá; a Moisés,  na sarça que se queimava e não se consumia; a Elias no monte Horebe; aos pais de Sansão em um campo agrícola; a Zacarias no interior do templo; a Maria, mãe de Jesus; a Saulo no caminho de Damasco e no interior de um navio em perigo de naufrágio e outros;

3-      Ela formula não uma doutrina de Jesus subindo em pé de goiaba, elas apenas conta de uma experiência que curou sua alma ferida pela violência sofrida e é princípio teológico que não se faz doutrina em cima de experiências;

4-      O contexto evangélico pentecostal está povoado de incontáveis manifestações sobrenaturais, no qual a pessoa se encontra com Cristo e tem sua vida mudada. Histórias nas quais Jesus  manifestou-se unicamente à pessoa envolvida, entrando como  médico em hospitais, advogados em presídios e outras;

5-      O movimento pentecostal distingue-se no fato de que seus membros creem que os sinais miraculosos dos dias bíblicos, novo e velho testamento, são totalmente pertinentes para os dias atuais: dons de cura, variedade de línguas, interpretação, discernimento de espíritos, palavra da sabedoria, operações de maravilhas; manifestações por sonhos e visões. Isso é real na igreja hoje, muitos curas e milagres acontecem no contexto do culto;

6-      O culto evangélico não é feito em torno de uma filosofia ou em cima de uma ideia. Todas as vezes que uma igreja bíblica se reúne, ela o faz em torno de uma pessoa, a pessoa de Jesus de Nazaré, nascido de uma virgem, crucificado, ressuscitado e assunto aos céus, mas operante na terra por meio do Espírito Santo;

7-      Em tempo algum se procurou saber o que fazem os líderes de Estado em torno de sua fé, se creem ou não em algo, se adoram o que ou a quem; mas virou moda criticar a fé na pessoa de Jesus ou separar o Jesus da Bíblia e da Igreja, do Jesus histórico, como se conflitassem.

Pessoalmente, creio que Jesus está vivo e continua atuando entre os homens e manifesta-se dentro do nível de compreensão de cada indivíduo. Entre as muitas experiências, recebi sua presença em meu quarto, quando tinha 30 anos de idade;  estava enfermo, lóbulo inferior do pulmão esquerdo indicado para lobectomia e Jesus de Nazaré manifestou-se por meio de espada de fogo que circundava o meu tórax removendo todo sangue ressecado das paredes pulmonares e eu, que não tinha forças para me levantar, saltei da cama, fiz abdominais e corri pela casa exaltando o nome dele. Faz 34  anos que fui curado. Prontuário com toda história deve estar nos arquivos do Hospital de Base e Hospital L2 Norte, vinculado à Universidade.

Intervenções sobrenaturais ocorrem dentro da soberania e graça divinas, não sabemos explicar como, quando,  porque  e quem será contemplado, e o melhor que nossa ignorância faz é manter-se em silêncio reverente.

Walter da Mata





COMPARTILHE:

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

CORTE NA CORTE






Da Corte sinto nostalgia
Da Honra que já tivestes
Se da Corte foi-se a honra
A Corte só deixa saudades

       Da Corte sinto vergonha
       Pois dela se foi “verecundia
       Expostos já não enrubescem
       Os que amam a vilania

Que não corte quem pudor sente
Da “vergonça” abandonada na Corte
Que dispa a toga falta em pudor
Quem na Corte não se faz “veveri

       A “vergonça” é coisa arcaica
      No presente a queremos sentir
      Que se corte da Corte
      Quem a vergonha quer impedir.

                                                                             Walter da Mata  6/12/2018
Os itálicos vem do Latim, verecundia e vergonça: vergonha
                                             veveri: respeito, honra

COMPARTILHE: